CONFIANÇA! UM IMENSO PERDÃO NOS ESPERA

volta-do-filho-prodigo-rae

Ao lermos a parábola do filho pródigo, costumamos aplicá-la a pessoas que conhecemos. Mas, haveria um paralelo entre o filho pródigo do Evangelho e a situação trágica em que a humanidade se encontra?

O filho pródigo do Evangelho perdeu sua herança porque desejou gastá-la longe da casa do pai, e a humanidade parece ter perdido a luz da razão porque julgou-se capaz de usá-la sem Deus. E tendo dilapidado toda a “fortuna” de sua inteligência e liberdade, não estaria agora a humanidade reduzida a alimentar-se das “bolotas dos porcos”?

Ora, será que doravante a História não nos reservará algo melhor? A grande bondade manifestada pelo pai ao filho arrependido, não nos autoriza a esperar um imenso perdão para a “humanidade pródiga”? Sobre esta perspectiva o Mons. João Clá, Fundador e Superior Geral dos Arautos do Evangelho tece um elucidativo comentário.

MARIA E A “HUMANIDADE PRÓDIGA” (*)

mons-iv

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

Se traçássemos um paralelo entre a humanidade atual e o filho pródigo, com tristeza veríamos não estar ela muito distante do estágio no qual, reduzido à completa miséria, o filho pródigo da parábola quis se alimentar com as bolotas dos porcos.

Permitindo que os homens caiam nos horrores de um mundo contrário à virtude, Deus espera pacientemente o momento exato para lhes conceder as luzes de sua misericórdia, através de uma ação do Espírito Santo. Tal ação lhes fará ver com clareza seu deplorável estado e lhes suscitará as saudades das maravilhas da graça, abandonadas já há tantos séculos.

A FIGURA QUE NÃO ESTÁ NA PARÁBOLA: MARIA SANTÍSSIMA

Nossa Senhora do Brasil - São Paulo

Nossa Senhora do Brasil – São Paulo

Os símbolos, porém, sempre claudicam em relação à realidade, e a fé nos faz crer que o futuro dos homens superará em muito o desfecho da parábola, sobretudo por causa de um elemento. Na narração, não aparece uma figura que na História tem papel fundamental: Maria Santíssima, a quem Deus constituiu Advogada e Refúgio dos pecadores, Mãe dos homens.

Quando a humanidade pródiga começar a empreender o caminho de volta, essa Mãe virá ao seu encontro e a receberá com incomensurável bondade.

 Bastará então que Lhe seja dirigida a súplica humilde e confiante: “Pecamos contra Deus e contra Vós; já não merecemos ser chamados vossos filhos. Tratai-nos como se fôssemos servos”. Ela mesma intercederá, então, junto a seu Filho, levando-Lhe o pedido de clemência.

Nesse momento em que os homens se apresentarem diante do trono da Divina Misericórdia, colocando-se na condição de escravos da Sabedoria Eterna e Encarnada, pelas mãos de Maria, estará concedido o perdão restaurador.

Nossa Senhora de Fátima: "Por fim o meu Imaculado Coração triunfará"

Nossa Senhora de Fátima: “Por fim o meu Imaculado Coração triunfará”

E assim como o pai festejou o jovem arrependido, Deus tratará como filhos prediletos a estes que se entregarem sem reservas, e promoverá a comemoração inaugural de um novo regime de graças no plano da salvação: o Reino de Maria, era histórica da misericórdia, constituída por almas que, reconhecendo-se pecadoras, se terão deixado transformar pela força do perdão.

(*) Título e subtítulo da redação deste blog.
(Trecho do comentário de Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP, “O inédito dos Evangelhos”, Libreria Editrice Vaticana, Vol. V, 2012, p. 357-359. Publicada também na revista “Arautos do Evangelho”, nº 141, setembro de 2013, p. 19.Para acessar a revista Arautos do Evangelho do corrente mês clique aqui )
Ilustrações: Arautos do Evangelho

One thought on “CONFIANÇA! UM IMENSO PERDÃO NOS ESPERA

  1. Estupendo comentario que nos hace ver el papel fundamental de María Santísima en la obra regeneradora de la humanidad. Muchas gracias por presentarnos tan bella página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *