Lágrimas, milagroso aviso… de alegria

Do dia 21 a 26 de abril deste ano, 11 imagens choraram em casas dos Arautos do Evangelho, sendo 8 delas imagens de Nossa Senhora de Fátima. Numerosas testemunhas constataram a veracidade dos fatos, entre elas vários sacerdotes, um juiz de Direito e grande número de adultos de fora do quadro dos Arautos do Evangelho.

Fato inédito na História: tantas imagens vertendo lágrimas nas casas de uma mesma instituição. E por tratar-se de representações da Virgem de Fátima, nossa atenção deve se redobrar, pois sem dúvida, neste fim de centenário das aparições, Ela nos traz algum sinal, algum aviso, alguma mensagem. Continue reading

As vozes não mentiram

Nesta semana  a Liturgia celebra a memória de Santa Joana d’Arc, a virgem heroína que foi instrumento da Providência para a libertação da França ante a ocupação inglesa no século XV.

Libertação, pois pouco tempo após, a Inglaterra romperia com a Igreja, aderindo aos erros de Lutero e se dobraria ante os desvarios de um rei libertino, Henrique VIII. Continue reading

Grandezas de Nossa Senhora

“Fez em mim grandes coisas Aquele que é poderoso e cujo Nome é santo” (Lc 1, 49). Assim reconhece Maria Santíssima as maravilhas que Deus lhe concedeu.

São Luís Grignion, faz o seguinte comentário no Tratado (1): “Os santos disseram coisas admiráveis desta cidade santa de Deus; e nunca foram tão eloquentes nem mais felizes, — eles o confessam — que ao tomá‑la como tema de suas palavras e de seus escritos. E proclamam que é impossível perceber a altura dos seus méritos, que Ela elevou até ao trono da Divindade; que a largura de sua caridade, mais extensa que a terra, não se pode medir; que está além de toda compreensão a grandeza do poder que Ela exerce sobre o próprio Deus; e, enfim, que a profundeza de sua humildade e de todas as suas virtudes e graças são um abismo impossível de sondar. Oh altura incompreensível! Oh largura inefável! Oh grandeza incomensurável! Oh abismo insondável!”

É sobre essas grandezas que trata o Mons. João Clá, Fundador dos Arautos do Evangelho, no vídeo abaixo.

 

(1) São Luís Grignion de Montfort, Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, Ed. Vozes, Petrópolis, 46ª Edição, 3ª reimpressão, 2017, nº 7, p. 22.

 

Mãe: até Deus quis ter uma

Alguns anos atrás presenciei a cena de um jovem — juveníssimo — aspirante a Arauto do Evangelho, pedindo ao Mons. João Clá uma sugestão para o cartão que enviaria por ocasião do Dia das Mães. Percebia-se que o jovem queria expressar todo afeto que tinha pela mãe, mas que este afeto era tão grande que ele não encontrava as palavras adequadas para exprimi-lo.

O Mons. João Clá, sempre solícito e afável, ouviu o jovem e passou a ditar.
Continue reading

Resgatando o tempo perdido

Numerosas pessoas comentam o tempo que perdem indo ou voltando do trabalho, da faculdade e de outros percursos nas grandes cidades. Alguém observou que o geral das pessoas passa o tempo olhando o mesmo trajeto que já conhecem incontáveis vezes. Um olhar praticamente sem fruto, inútil. Poucos aproveitam para ir constituindo um tesouro: rezar o Rosário.

Caso você tenha perdido o hábito de rezá-lo, ou “não tenha tempo”, aproveite esse tempo perdido: reze o Rosário.

Para incentivá-lo, as considerações que seguem podem lhe ser úteis.

Continue reading

Quem não gostaria de um conselho?

Em nosso dia a dia, quantas vezes nos deparamos com situações nas quais é difícil optar por este, aquele — ou aquele(s)… — caminho(s) a tomar? Como gostaríamos ter alguém a nos indicar qual deles tomar, seja para chegar ao fim almejado ou sair de uma situação complicada…

Esse “alguém” existe, caro leitor, e nos aconselhará com o desvelo, o afeto e o carinho de mãe.

Essa Mãe foi escolhida pelo próprio Deus para ensinar e guiar os passos de Jesus Menino e se dispõe a fazer o mesmo conosco …ainda que não sejamos meninos. Trata-se da Mãe do Bom Conselho, venerada a séculos na pequena e pitoresca cidade de Genazzano, bem pertinho de Roma.

Continue reading

A Estrela que antecede o “Sol da Justiça”

Se prestarmos atenção ao céu pouco antes da aurora, poderemos ver uma estrela a pouca altura do horizonte acima do ponto onde o sol despontará. Esse fato passa despercebido a muitos, pois nessa hora, ou ainda se dorme, ou já se está no corre-corre matutino.

Embora essa estrela não seja vista em todas as latitudes ou em todos meses do ano, a sua frequência fez a voz do povo chamá-la de “estrela da manhã”. Terá isso algum simbolismo de algo mais alto?

Continue reading