Nunca tantos deveram tanto a um só

Na Segunda Guerra Mundial, a Inglaterra, sob o risco de uma iminente invasão alemã, resistiu galhardamente. Boa parte da vitória deveu-se aos pilotos de caça das bases aéreas próximas a Londres. Foram três dias de encarniçada defesa, mas por fim os ingleses barraram o ataque aéreo e a invasão fracassou.

Pilotos destas bases chegaram a cumprir mais de 20 missões em 24 horas. Alguns não dormiram mais que 2 a 3 horas nesses dias. E venceram a ameaça. Continue reading

As vozes não mentiram

Nesta semana  a Liturgia celebra a memória de Santa Joana d’Arc, a virgem heroína que foi instrumento da Providência para a libertação da França ante a ocupação inglesa no século XV.

Libertação, pois pouco tempo após, a Inglaterra romperia com a Igreja, aderindo aos erros de Lutero e se dobraria ante os desvarios de um rei libertino, Henrique VIII. Continue reading

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

antonio-santo-ea-iluminura-anonimo-boletim

Por volta do ano de 1193 em Lisboa, Portugal, nasceu Fernando Bulhões que se tornaria depois Santo Antônio de Pádua, ou de Lisboa, como costumam chamá-lo os portugueses. Aos quinze anos, tendo ouvido com nitidez o chamado de Deus para a vida religiosa, entrou na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, no Mosteiro de São Vicente de Fora.

Continue reading

MARTA ou MARIA?

Observando um movimentado “calçadão” no centro da cidade, dei-me conta de uma realidade — talvez triste realidade: cada pessoa era um isolado em meio à multidão. Somava assim duas situações que, mal vividas, podem não ser benfazejas: o excesso de companhia e a solidão mal aproveitável.

Quantos ali gostariam de ter uma boa companhia? Ou estarem sós, pensando ou admirando algo diferente do banal de todos os dias?

Ocorreu-me então a ideia de transcrever observações do Mons. João Clá Dias, fundador dos Arautos do Evangelho, a propósito de uma situação análoga e muito esclarecedora que tem como tema a santa que a Igreja comemora hoje: Santa Marta, irmã de Lázaro —o ressuscitado por Jesus — e sua irmã Maria Madalena.

Continue reading

53 ANOS DEPOIS

Eram séculos de Fé. E por isso de heroísmo, de santas e ousadas aventuras.

Num desses lances, a esquadra de Cabral descobre o nosso Brasil, que era, na expressão de Pero Vaz de Caminha uma “terra chã e formosa” portadora de enormes esperanças para o futuro.

A maneira como o escrivão da armada encerra sua carta ao Rei mostra quanto a Fé dava alento a essas esperanças:

“… o melhor fruto, que nela se pode fazer, me parece que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar”.

As “sementes” logo chegaram: missionários de várias ordens, especialmente jesuítas.

53 anos depois Continue reading

Amor com amor se paga

É muito conhecida a recomendação de Jesus “Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra”. O próprio Jesus agiu assim e de modo tão sublime que supera sua própria recomendação.

Vejamos uma dessas vezes.

Continue reading

Amizade e santidade – Os sete fundadores

Sete Santos Fundadores dos Servitas – 17 de fevereiro
A amizade é um dom de Deus. Este dom é ainda maior quando possibilita aos amigos o contato mais íntimo com Deus a exemplo dos fundadores dos Servos de Maria. Juntos, eles dedicaram suas vidas no serviço aos mais pobres, iluminados por nossa Mãe Maria. Continue reading