A chave do tesouro

Pe Ricardo Basso, EP celebra Missa para os participantes do Simpósio

— Lá dentro tem tal coisa assim, assim?

— Tem.

— E tal outra coisa?

— Também tem.

— Então agora é só conseguir a chave do tesouro. Será difícil encontrar?

— Não. Até uma criança consegue.

Ou seja, o tesouro tem tudo que se precise. Mas… há gente que não sabe onde está a chave. E outros embora sabendo, não a procuram…

Vamos ver onde está a chave!

Numa homilia, o Mons. João Clá disse ser esse um paradoxo: há um tesouro, mas as pessoas não procuram a chave.

O tesouro: tudo nesta vida e depois a vida eterna.

A chave: a oração.

Foi esse o tema de um abençoado simpósio ministrado pelo Pe. Ricardo Basso, EP, para os jovens aspirantes dos Arautos do Evangelho, participantes do Projeto Futuro e Vida e suas famílias.

Com a vivacidade que lhe é característica o Pe Ricardo discorreu sobre esse tema tão necessário para a salvação. As palestras foram enriquecidas por recentes e convincentes exposições do Mons. João Clá Dias, EP, Fundador e Superior Geral dos Arautos do Evangelho.

Algumas frases de Santos, comentadas no simpósio mostram bem a importância de levarmos uma vida de oração séria e perseverante:

“Quem reza se salva, quem não reza se condena” (Santo Afonso de Ligório).

“A oração é a chave de todos os tesouros da bondade Divina” (Santo Agostinho).

“Quem começa a rezar deixa de pecar, quem deixa de rezar começa a pecar” (Santo Agostinho).

“O pecador mortal e a oração não podem viver juntos” (Santa Teresa d’Ávila).

“O que as asas são para uma ave, a oração é para o cristão” (Santo Afonso de Ligório).

“A oração do homem humilde penetra as nuvens” (Ecle. XXXV, 21).

Além das exposições orais, vídeos e círculos de reflexão, os participantes tiveram Missa diária e a possibilidade de confessar-se.

Um comentário final, generalizado foi de como passou tudo rápido, num alegre convívio e o poder refletir de um tema que nos leva a Deus.

Os mais novatos descobriram a chave do tesouro e saíram resolvidos a usá-la. Deram-se conta de que Jesus, ao dizer “Pedi e recebereis” (Mt 7, 7), não põe outra condição para que se receba senão pedir. Nosso Senhor não disse “Pedi, fazei tal outra coisa e recebereis”, não. Foi só “Pedi e recebereis”.

2 thoughts on “A chave do tesouro

  1. Salve Maria!
    Que palestra tão cheia de graças muito bem explicativa,sem duvidas a oração é tudo, sem ela vamos para o fundo do poço,não podemos deixar nossas orações pra nada ela nos eleva a alma a Deus.
    Salve Maria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *