ANIMAR, ESSE DEVER URGENTE – Confiança!

Conheço inúmeras pessoas que leram o LIVRO DA CONFIANÇA, o fundamento desta série de posts. Não há uma que não o considere como um dos livros marcantes em suas vidas.

Há, entre muitos outros, o caso de um jovem de dezesseis anos que recebeu o livro de presente e, ao ler o parágrafo inicial não parou mais até concluir a leitura. Conheço de perto este jovem — agora já homem maduro — e posso afirmar ter sido essa leitura decisiva na sua vida. Aliás, ele mesmo o afirma.

Eis o parágrafo inicial. Mas, caro leitor, não leia às pressas. Como diz o próprio autor do livro: “Tenta lê-lo devagar, com atenção, em espírito de oração. Quase diria: medita-o!”.

Nossa Senhora da Confiança – Roma

“Voz de Cristo, voz misteriosa da graça que ressoais no silêncio dos corações, vós murmurais no fundo das nossas consciências palavras de doçura e de paz. às nossas misérias presentes repetis o conselho que o Mestre dava, frequentemente, durante a sua vida mortal: ‘Confiança, confiança!’” ⁽¹⁾.

O autor passa a relembrar algumas passagens do Evangelho em que Jesus nos convida à confiança.

Começa pelo fato comovente do paralítico colocado em sua presença através de abertura no teto: “Confiança, filho, teus pecados te serão perdoados” (Mt 9, 2). À mulher cheia de fé, que só d’Ele esperava a cura e tocara a fímbria do seu manto disse: “Confiança, tua fé te salvou” (Mt 9, 22).

Nossa Senhora das Graças – Casa dos Arautos do Evangelho

“Quando os Apóstolos tremiam de pavor vendo-O caminhar, de noite, sobre as águas do lago de Genesaré, Ele os tranquilizava com esta expressão pacificadora: “Tende confiança! Sou Eu, nada temais!” (Mc 6, 50). Na noite da Ceia, conhecendo os frutos infinitos do seu sacrifício, lançava Ele, ao partir para a morte, o brado de triunfo: “Confiança! Confiança! Eu venci o mundo!…” (Jo 16, 33).

O Padre Thomas, conclui este trecho de modo inspirado:

“Esta palavra divina, ao cair de seus lábios adoráveis, vibrante de ternura e de piedade, operava nas almas uma transformação maravilhosa. Um orvalho sobrenatural lhes fecundava a aridez, clarões de esperança lhes dissipavam as trevas, uma calma serenidade delas afugentava a angústia.

Pois as palavras do Senhor são “espírito e vida”, “bem aventurados os que a ouvem e põem em prática” (Jo 6, 64 e Lc 11, 28).

Como outrora aos seus discípulos, é a nós, agora, que Nosso Senhor convida à confiança. Por que recusaríamos atender à sua voz?…”

Sim, por que?

Ele é nosso Criador, nosso Pai, nosso Redentor, Aquele que nos sustenta, mesmo quando esquecemos de pedir-Lhe. Aquele que tudo nos deu, até a última gota de sangue e água. Que nos ama tanto a ponto de ficar conosco na Eucaristia ao ir para junto do Pai. Aquele que, sabendo de nossas debilidades está sempre à nossa disposição no confessionário para perdoar-nos.

Por que não confiar?

.
.

⁽¹⁾ PE. THOMAS DE SAIT LAURENT, O Livro da Confiança, Capítulo I. Ver citação no post que iniciou esta seção.

3 thoughts on “ANIMAR, ESSE DEVER URGENTE – Confiança!

  1. Pingback: ANIMAR, ESSE DEVER URGENTE – Confiança! | Arautos do Evangelho

  2. Salve Maria!
    Fenomenal!!!!! este artigo precisamos ter muita confiança em Deus é só ele que nos perdoa , é só ele que nos dá tudo sem pedir nada em troca ,então é nossa obrigação de confiar em Deus.
    Salve Maria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *