O que é o Advento?

Coroa do advento, paramentos e alfaias roxas, o teor das leituras muda…

Por que? Porque simboliza o período de espera da vinda do Messias. Durante 4.000 anos os Patriarcas, os profetas e o povo judeu clamava pela vinda do Redentor que haveria de começar um regime novo de graças, redimir a humanidade do pecado de nossos primeiros pais.

Período de conversão e penitência.

Veja um pouco mais no vídeo abaixo.

Aconteceu

Dois amigos caminhoneiros, sempre que podiam, viajavam juntos pelas estradas deste Brasil, cada um guiando o seu caminhão. Certo dia, pararam num posto de estrada para jantar e descansar.

Para não dar os seus nomes, chamemos  um  de  João e outro  de Pedro.

Após o jantar, Pedro repentinamente caiu no chão,  vítima de um violento ataque cardíaco; formou-se uma roda em volta, mas, surpresos,ninguém sabia o que fazer. João, segurava, cuidadosamente a cabeça do amigo e tentava reanimá-lo.

Depois de alguns instantes, Pedro recobrou alguma lucidez e disse para João: “João, vou morrer… sou católico…. eu sempre pedi a São José para ter um padre na hora da morte… João, ao ouvir isso, tremeu como se levasse um choque elétrico! E disse para o amigo moribundo: “Pedro, meu amigo……eu….eu…nunca lhe contei um segredo…..eu sou padre católico….larguei o sacerdócio alguns anos atrás……” E dirigindo para o pessoal em volta, João disse: “afastem-se pessoal… sou padre e vou ouvir a confissão de Pedro.

Então, após Pedro ter recebido os Sacramentos da Penitencia e da Unção dos Enfermos, sua alma pode partir na paz do Senhor.

São José não falhara.

“A medalha é milagrosa!”

Assim se expressavam as pessoas à vista dos inúmeros fatos — muitos deles não explicáveis naturalmente — relacionados com a medalha que hoje o mundo conhece com “Medalha Milagrosa”.

Tudo começara com as aparições de Nossa Senhora a uma humilde noviça das Irmãs de Caridade, Catarina Labouré, hoje canonizada. Continue reading

Carta à Santíssima Virgem

Tiritando de frio e faminto, Jean andava aflito pela Paris que acabava de sair da Segunda Guerra Mundial. Com 6 anos de idade, não tinha a quem recorrer: em sua inocência, desejava escrever uma carta a Nossa Senhora, mas não sabia ler nem escrever.

Afinal encontrou em uma esquina um velho ex-combatente, sentado junto a uma pequena mesa, fumando seu cachimbo. Era um escrivão público. Continue reading